Friday, November 8, 2013

VAI NA MINHA no Risk Management Summit 2013

VAI NA MINHA: Vai na Minha no Risk Management Summit 2013: Por Daniel Chu Um desdobramento muito legal da nossa viagem à Tanzânia , em especial a escalada que fizemos ao Monte Kilimanjaro  ...

Wednesday, July 10, 2013

VAI NA MINHA: Vai nessa VAI NA MINHA?Acontece com todo mundo... ...

VAI NA MINHA: Vai nessa VAI NA MINHA?Acontece com todo mundo... ...: Vai nessa VAI NA MINHA? Acontece com todo mundo... Só de ontem para hoje tenho contabilizados 79 e-mails recebidos, 35 dos quais bloqu...

Friday, March 22, 2013

VAI NA MINHA: O Melhor Trabalho do Mundo

VAI NA MINHA: O Melhor Trabalho do Mundo: Google uma viagem sem sair de casa O VAI NA MINHA , assim como a maioria de nós, tem uma lista dos lugares que deseja visitar. E se v...

Friday, January 13, 2012

Começando bem 2012: Dica de viagem

Ano novo começando bem com uma recomendação de um novo site do amigo Luis Fernando Pinto, que trata de viagens, por enquanto especialmente da Trilha Inca para Machu Picchu com todas as dicas importantes e fotos. Bem simples, consciso e para mim, mais que tudo, uma recordação viva de uma viagem fantástica que tive a chance de fazer na companhia do Luis e da Cláudia. Vale a pena conferir:
http://www.trilhaincaparamachupicchu.com.br/

Thursday, December 8, 2011

Boas vindas à "new kid on the blog": Personal Trip Advisor!

Onde tudo começou: Peru


O Peru é um mundo e nesta viagem de duas semanas exploramos somente um pouco deste imenso paraíso natural que oferece aos seus visitantes um impressionante legado histórico e cultural. Pela conjunção de intrigantes ruínas com paisagens espetaculares por toda a sua extensão, a trilha Inca ou caminho Inca que percorremos em 4 dias é considerada a caminhada mais famosa das Américas e faz parte do top 10 de 10 em cada 10 listas das melhores trilhas do mundo.
Ela começa no km 82 da ferrovia Cusco/Quillabamba e por cerca de 42 km, elevando-se à uma altitude de 4215 m atravessa as montanhas acima das margens do rio Urubamba até levar à cidade perdida de Machu Picchu que neste ano comemora o centenário do seu descobrimento.
Relatar a experiência de reviver o caminho que os Incas faziam para chegar a Machu Picchu, recheando de preciosas dicas e recomendações será a prazerosa tarefa que a Cláudia - minha querida prima - abraçou e para isso resolveu criar o blog Personal Trip Advisor, ao qual desejo continuidade e sucesso. De meu lado, deixo aqui o registro de uma lição que o Peru nos ensina. Há pouco mais de 20 anos atrás o país vivia sob total domínio do terrorismo e do tráfego de drogas, de forma que poucos eram os turistas que se arriscavam nesse mesmo caminho Inca que percorremos com toda a paz e tranquilidade. A história de como o governo peruano conseguiu mudar esse cenário é controversa e repleta de episódios escusos, mas é fato que, com obstinação, em um período curto de uma década, a atuação terrorista do Sendero Luminoso foi em grade parte suprimida – uma tarefa tão ou mais árdua quanto eliminar o tráfico de drogas das favelas do Rio de Janeiro. Árdua porém possível, se ao menos algum governo de fato quisesse. Não foi o caso dos últimos que ocuparam o cargo. Infelizmente também não parece ser o caso da atual ocupante (mas aí já estou digredindo).

Cláudia, seja bem vinda! Vida longa e próspera para o blog Personal Trip Advisor!

É por instantes como esses que você deixa a sua casa – para não mais se sentir como um estranho no mundo, para testar seu ânimo contras a força do destino, para encontrar amigos desconhecidos, e ouvir que não importa quão longe você vá vagando como um peregrino, “você jamais caminhará sozinho”. 

- Phil Cousineau, A Arte da Peregrinação

Wednesday, July 20, 2011

(EU) FRACASSEI, E AGORA?




Todo mundo já viu uma ideia brilhante fracassar e ficou se perguntando o porquê. Cass Phillips foi além de tudo isso e buscou transformar os erros em aprendizado que poderia ser compartilhado com outros empresários trilhando o mesmo caminho. Foi assim que surgiu a Fail Conference, um evento para empresários dividirem suas histórias de fracassos e o aprendizado que veio com eles.

Cass começou perguntando quantas pessoas na plateia já tinham visto uma ideia fracassar. E, para os poucos que não levantaram a mão, ela garantiu: “Vocês vão fracassar em algum momento”. Antes de tudo, a norte-americana mostrou definições encontradas no dicionário e disse o que essa palavra significa para ela: “Fracasso é qualquer resultado que decepcione a você ou a sua audiência”. Mas dá para fugir do fracasso? Cass explica como: “Basta não fazer tentativas. Se você não tenta, nunca vai fracassar. Simples, não?”

Se você não quer desistir, então precisa pensar nas suas metas. Cass aconselhou os empreendedores a traçar metas realistas “e garantir que você vai ter tempo para comemorar cada vez que alcançar uma”. Ela explica que só assim elas fazem sentido e podem te levar a resultados ainda melhores. Para chegar a isso, é preciso fazer mudanças, mas “experimente mudar uma coisa por vez e devagar”. Cass explica porque: “Se você mudar todo o design de seu site, por exemplo, e os resultados mudarem, você não vai saber o que provocou a melhora e não vai poder aplicar o mesmo princípio em outras áreas”.

Outra dica da empresária é seguir sua intuição: “Mesmo que não esteja vendo nada de errado, se sentir que algo está errado, mude”. Isso funciona ainda melhor quando compartilhado com sua equipe, por isso é bom cuidar da comunicação com seus colaboradores. Essa relação é tão importante quanto o diálogo com seus consumidores nas mídias sociais, outro ponto defendido por Cass.

E se um colaborador fracassar? Cass mostra que é preciso ser firme e assumir a responsabilidade: “Tire ele da função. Ele não tem culpa de estar no lugar errado. Você tem”.


Fracasso nunca é uma sensação boa. Nunca. A questão é o que você vai fazer com ele depois. – Cass Phillips

Saturday, February 5, 2011

Somos Tão Jovens no Campus Party. : BizRevolution. Um Novo Olhar Sobre As Mesmas Coisas.

Somos Tão Jovens no Campus Party. : BizRevolution. Um Novo Olhar Sobre As Mesmas Coisas.


Não tem ar condicionado, não tem coffee-break, não tem recepcionista gostosa sorrindo falso para você, não tem cadeira confortável para assistir as palestras e os debates, não tem distribuição de sacolinhas com brindes ou folhetos corporativos, não tem restaurante francês, não tem serviço de valet na porta, não tem patrocinador vomitando jabá, e consequentemente, não tem nenhum dono da verdade; e se tivesse, seria expelido pelo organismo vivo formado pelos campuseiros que se mostram ansiosos em colaborar com a construção das coisas ao invés de aceitar calados a teoria de algum boçal porque é diretor de alguma empresa ou professor de alguma matéria. 

Os Campuseiros não tem medo algum de fazer perguntas difíceis para quem está no palco.

Os caras metralham todo tipo de pergunta, boas e ruins, sem vergonha alguma. No último dia do evento, ao final da palestra do Steve Wozniak - o grande Woz, co-fundador da Apple com o Steve Jobs -, os campuseiros formaram uma fila imensa para fazer perguntas para o cara. 

Fato esse que raramente você vê em eventos corporativos tipo HSM Expo e outras tranqueiras, onde os ternos ambulantes da platéia formada por executivos fanfarrões são incapazes de formular uma pergunta que seja para o “guru” que está no palco a frente do seu ppt boring-to-boring. 

O Campus Party é o evento da Geração Coragem, e não da geração “quero trabalhar na Ambev ou Vale do Rio Doce”. 

A molecada se reune no Campus Party para criar o que não existe. 

Os Campuseiros não querem mamar nas tetas da invenção de alguém; os caras querem criar novos mercados, ampliar as oportunidades, formentar novas perspectivas para aqueles que são diferentes aos olhos do mainstream. 

A “galera” no Campus Party não vai até lá para conversar sobre o futuro da cerveja, dos bancos, da propaganda, do fast food; os caras se reunem para discutir internet, redes sociais, robótica, software livre, programação e desenvolvimento, criatividade, games, astronomia, design, foto, vídeo, música, enfim, mercados ainda pequenos, embrionários e insignificantes se comparados aos negócios bilionários e saudáveis conduzidos pelo banco do Silvio Santos, ou pelas importações criativas feitas pela turma da Daslu. 

Ainda assim, você ainda encontra muita tranqueira e campuseiros sem causa no Campus Party. 

Teve debate sobre como plantar uma mentira na internet, com blogueiro se achando o máximo por ter espalhado uma mentira que foi citada como verdade pelo Nelson Rubens no Programa Fama da Rede TV - como se o fato de ser citado pelo Nelson Rubens, ou o próprio, fosse importante ou relevante. 

Teve moleque competindo para ver quem conseguia fazer a maior quantidade de downloads de filmes pornô durante o evento. Tinha um moleque se achando o tal por ter reunido 4 terabytes de mulher pelada em 3 dias de evento. 

Eu realmente não entendo porque esse moleque precisa de 4 terabytes de filmes pornô na casa dele. Particularmente falando quando eu tinha a idade dele eu precisa de apenas uma cena de quatro minutos para terminar o trabalho. 

Vai ver que a geração de hoje é mais namoradinha, quer ver a história que rola entre as cenas, o making off, entrevista com os atores, a produção etc. 

Contudo, entretanto, todavia, o que eu mais gostei de ver no Campus Party 2011 - além da inesquecível palestra do Woz - foi o programa Campuseiros Empreendem. 

Eu estive presente nas quatro edições do Campus Party que já rolaram no Brasil. E fico muito feliz de ver que a matéria empreendedorismo está ocupando um espaço cada vez maior entre os campuseiros. 

Eu gostei muito de um trecho da palestra do Jovem Nerd quando o gordinho falou, “Esse negócio de ficar discutindo se Star Trek é melhor do que Star Wars é pura perda de tempo. O verdadeiro Nerd é o cara que pensa em uma idéia, cria um negócio, e trabalha para o desenvolvimento da sociedade.” 

É nítida a vontade da juventude campuseira em se tornar o próximo Woz, Steve Jobs, ou Mark Zuckerberg. 

Posso afirmar para vocês, depois do que eu vi durante os dias do Campuseiros Empreendem, que temos alguns potenciais clones mirins desses gênios por aqui. 

Eu quero agora compartilhar com vocês alguns dos projetos fantásticos apresentados durante o programa Campuseiros Empreendem. 

Eu acredito que todos vocês precisam conhecer essas inovações para ajudar a espalhar, espalhar e espalhar essas idéias fantásticas para quem precisa. 

São produtos fantásticos criados por uma juventude brasileira que aos seus vinte e poucos anos de idade escolhe investir o pouco dinheiro que tem no bolso para criar softwares que podem ajudar o Brasil a se tornar um país mais moderno e dinâmico. 

Confira o que essa Geração Coragem consegue criar:

Sieve.  O Sieve conquistou o primeiro lugar na categoria Aplicativos Web dentro do Campuseiros Empreendem, e levou para casa vários prêmios, entre eles um cheque de 5 mil reais. O Sieve é um software MARAVILHOSO para quem trabalha com comércio eletrônico. Através do Sieve o gerente da loja virtual monitora os preços dos concorrentes em tempo real. Nem Buscapé nem ninguém oferece o que o Sieve oferece. Se você tem loja virtual, você tem que usar o Sieve. O produto já está a venda, confira aqui. 

Mailee.me. Eu faço e-mail marketing desde 1997. Eu já vi e já testei todas as melhores ferramentas de gerenciamento de e-mail marketing que existem. Nunca tinha visto uma ferramenta tão fácil de usar e inovadora como a Mailee.me. O Mailee.me é incrivelmente bacana. O software traz dezenas de templates prontos para você criar newsletters ou promoções com dois ou três cliques. Faz o acompanhamento e monitoramento de quem abre os seus emails de uma maneira integrada com as redes sociais que eu nunca tinha visto.  Eu fiquei maravilhado com o software da molecada. Vale a pena dar uma olhada, e considerar o Mailee.me para suas necessidades de email marketing, confira aqui. 

LiveSync. O LiveSync levou para casa o primeiro lugar na categoria Aplicativos Mobile dentro do Campuseiros Empreendem. Eu amei o LiveSync. O Live Sync é uma plataforma que “mobiliza” o conteúdo de qualquer evento, em qualquer lugar, e o torna acessível por qualquer plataforma. Fácil e rápido para implementar e simples para o usuário final, é uma solução móvel completa de conteúdo para eventos, workshops, festivais e conferências. Maravilhoso!  

Pé2. O Pé2 é um daqueles “troços” que você se depara e diz, “UAU, que é isso!?!?! Mágica?”. O Pé2 é um buscador visual para celulares.  Por exemplo, você tira a foto da capa de um livro com o seu celular, e em poucos instantes ele mostra qual é o preço do livro em diferentes livrarias. A tecnologia identifica o conteúdo da foto, e varre a internet em busca de dados do produto que está na imagem. Impressionante! Confira aqui. 

MobiClub. O MobiClub foi o grande vencedor do Campuseiros Empreendem. Eles levaram para casa um cheque de 100 mil reais além de vários outros prêmios. O reconhecimento foi merecido. O Mobiclub é um sistema de pagamento via celular que promete acabar com as filas. O sistema se integra ao sistema de pagamento dos estabelecimentos, e você paga de onde estiver. É o fim das filas! Fantástico! Confira aqui. 

AnuncieLá. O AnuncieLá é um portal de anúncios classificados integrado com as redes sociais. Eu adorei a idéia! Com o AnuncieLá os seus anúncios ganham vida, ganham um rosto por trás das ofertas, e você tem a possibilidade de associar a sua credibilidade nas redes sociais com a venda de produtos, confira aqui. 

Catarse. O Catarse é um software de crowdfunding. Ele ajuda as pessoas a encontrar investidores dispostos a investir no projeto de outras pessoas. Você anuncia o seu projeto no Catarse, diz quanto precisa, até quando, e as pessoas interessadas investem o quanto podem no seu projeto. Show de Bola, estou torcendo por eles, chega de mendigar para banco. Se a sua idéia for útil para a comunidade, ela mesmo vai investir em você, confira aqui. 

Tropical Cyborg. A Era da Gamemania na Facebook está apenas começando. A Tropical Cyborg é a primeira produtora de games sociais 3D para Facebook do Brasil, ou do mundo. Se você já enjoou de plantar batatas com o FarmVille, experimente o FB-Racer da Tropical. Compre, venda, troque as partes e peças dos seus carrinhos na Facebook, confira aqui. 

C.A.T.S. O Cats é muito legal. Você instala no seu celular, e ele te passa informações sociais ao vivo sobre as baladas que você quer ir. Com o tempo, ele aprende o que você gosta, e passa a te oferecer os programas que tem a ver com você. 

Bloompa. O Bloompa é uma rede social de compras. Você cadastra os produtos que deseja comprar, divulga para os amigos e ilustres desconhecidos, e passa a receber feedbacks positivos e negativos para te ajudar no processo de decisão dessa compra. Muito bacana, confira aqui. 

Pligus. O pligus possibilita que grupos de pessoas trabalhem, aprendam e comuniquem-se - sempre de forma colaborativa - de qualquer lugar ou dispositivo. O grande diferencial do pligus é ser uma sala virtual tão produtiva quanto uma sala real. No pligus, um grupo de pessoas pode editar colaborativamente imagens, desenhos, textos e mapas - e ainda compartilhar a tela. Tudo isso enquanto se comunicam via webcams, microfones e mensagens instantâneas, confira aqui. 

Netfraldas. Prepare-se, seu bebê vai consumir mais de 5 mil fraldas só nos 2 primeiros anos de vida. Agora, imagine se, em vez de ter que sair centenas de vezes para comprar fraldas, você pudesse recebê-las em casa? A NetFraldas oferece a solução definitiva: Fraldas por assinatura. Em poucos minutos, você terá todas as fraldas que seu bebê vai usar, entregues onde você quiser, com a freqüência que você escolher, pelo tempo que ele precisar, confira o projeto aqui. 

Mindle. Projeto de educação. O Mindle é um software que ajuda os professores a darem aula pela internet e ajuda os estudantes a encontrarem as melhores aulas possíveis. Através do Mindle o professor cria suas aulas online, e os alunos identificam e escolhem os melhores através do conceito de redes sociais. Qualquer coisa pode ser ensinada usando o Mindle. Muito bacana, ainda não está no ar. 

Zuggi. O Zuggi é apaixonante. Quando as crianças realizam pesquisas na internet, ficam sujeitas a uma série de conteúdos inadequados à sua idade, prejudicando seu desenvolvimento e a atividade de busca por conhecimento. O Zuggi é o primeiro buscador brasileiro voltado para crianças que filtra palavras e web sites impróprios e traz conteúdos de qualidade, relacionados aos interesses da criança. O Zuggi é um Google adequado para crianças. Idéia show de bola, o software é incrível. Além do buscador, o Zuggi tem recursos para se transformar em uma rede social privada quando instalado dentro de uma escola, confira aqui.

Enfim, se você ainda acha que a geração Y ou Milênio é formada por um bando de pangarés apressados, você está completamente enganado. 

Se ainda tem dúvidas, compre seu passe para o Campus Party 2012 e venha ver de perto o que essa turma está fazendo.

Inspire-se na Geração Coragem que vem aí, e mude o Brasil antes que ele mude você. 

E como diria o grande Renato Russo, “Todos os dias quando você acorda, você não tem mais o tempo que passou, mas tem todo o tempo do mundo. Todos os dias antes de dormir, lembro e esqueço como foi o dia, temos todo o tempo do mundo, e não fazemos nada”

O nosso suor sagrado de empreendedor é muito mais belo do que esse sangue amargo de funcionário que empaca as coisas. 

Somos todos muito jovens. Não temos tempo a perder. 

Lidere, Siga, ou Saia do Meu Caminho!

NADA MENOS QUE ISSO INTERESSA!

QUEBRA TUDO! Foi para isso que eu vim! E Você?